Nota de repúdio Porto Alegre, RS, Brasil.

NOTA DE REPÚDIO.

Caros amigos e colegas.

Como sabem, sou repórter fotográfico profissional desde 2017 vivendo única e exclusivamente deste trabalho.

Tenho diversas fotos publicadas em sites e jornais que pagam os devidos direitos para uso destas imagens.

Infelizmente tem pessoas maldosas que simplesmente copiam as fotos publicadas nestes sites e utilizam as mesmas em seus sites e canais sem adquirir o direito de uso e sem creditar o autor.

Sempre que encontro meu trabalho sendo utilizado de forma ilegal entro em contato para cobrar por isso e sigo o valor de tabela de referência da ARFOC-RS. Na maioria dos casos o acerto é rápido mas, temos casos que não se chega e um acordo pois, as pessoas não estão nem aí para o fotógrafo e por vezes acabo por buscar os meus direitos na justiça. Como autor da foto é fácil de comprovar o uso ilegal e até agora ganhamos todas as causas.

Recentemente cobrei um CANAL que utilizou duas fotos minhas em três vídeos. A negociação foi rápida e após o pagamento do valor, conforme tabela de referência, emiti nota fiscal e solicitei a retirada da reclamação por violação dos direitos autorais anexando todos os documentos necessários.

Para minha surpresa no dia seguinte o CANAL em questão, publicou um vídeo de mais de 12 minutos falando mal de mim, dando a entender que eu estava extorquindo eles, que eu ameacei bloquear o canal se eles não pagassem o que eu estava pedindo, e que era muito além do que eles entendiam como justo como valor da foto.

Cabe dizer que o valor de tabela é para quanto o interessado adquire a foto de forma legal e utiliza os créditos corretos. Mesmo assim afim de evitar cobrar valores abusivos utilizamos os valores de tabela para as práticas ilegais.

Um canal que diz ter mais de 12 anos, com mais de 1.8 milhão de inscritos, não sabe que tem que comprar o direito para publicar uma foto? Fui acusado de fazer um “strike” a cada dois dias para “pressiona-los a pagar”, que “não fui honesto” e que que “tomaram um tiro de 12 na carteira”, como se tivessem sido assaltados. Não falam meu nome especificamente, mas dizem que tenho site com meus contatos, ainda comentam que eles conheciam outros canais que também estavam sendo “ameaçados” por mim. Mais legal é a informação que “agora os vídeos antigos vão aparecer com as fotos borradas”, sinal que a prática de utilizar as fotos de maneira ilegal já tem tempo...

COMO SE EU FOSSE CRIMINOSO POR RECLAMAR PELO USO ILEGAL DO MEU TRABALHO.

Até este momento, o vídeo já teve mais de MEIO MILHÃO de visualização e mais de 10 mil comentários, várias pessoas fazendo comentários agressivos e já divulgaram meu nome e inclusive estou sendo ameaçado pelo WhatsApp... Até o nome de um colega fotógrafo que não tem absolutamente nada a ver com a situação foi mencionado e já havia uma mobilização para localizar o contato dele para fazerem a mesma coisa que estão fazendo comigo.

Eu sou um profissional cobrando pelo meu trabalho. Nunca quis mais do que me era devido. Cobro os valores de tabela e emito nota fiscal. Quem é que extorque dinheiro de alguém e manda nota fiscal?????? Eu tenho plena convicção de estar fazendo a coisa certa, inclusive tenho várias sentenças corroborando que tenho este direito.

A prática de utilizar fotos “do Google” já é bem conhecida e utilizada por vários “produtores de conteúdo”. Usam isso como desculpa para não pagar pelo direito de uso, que é único por publicação, e não dar os devidos créditos.

A atitude dos responsáveis pelo CANAL apenas reforça minha ideia de que estou fazendo o correto ao cobrar pelo meu trabalho sempre que o mesmo for utilizado de forma ILEGAL.

Fica aqui meu desabafo e peço encarecidamente aos colegas e a ARFOC-RS, na pessoa do presidente Ziebel, que fiquem cintes desta situação e não deixem de buscar os seus direitos como profissionais e muito menos que não deixemos que “influenciadores” digam como e quanto temos que cobrar pelo nosso serviço.

Muitos destes canais “produtores de conteúdo” são monetizados e ganham utilizando fotos sem adquirir os direitos e dar crédito aos autores.

Temos que nos unir, não podemos ficar nas mãos de gente mal-intencionada que usa o nosso trabalho e tenta ditar valores ou ainda que a Lei dos Direitos Autorais e “ruim para eles”.

Eu faço a minha parte e junto com o meu advogado vamos buscar mais essa na justiça...